1) O que é Psicoterapia?                                                                                   

É o encontro de uma pessoa que necessita de ajuda do outro e do outro que se encontra preparado para o atendimento de quem precisa.
Essa preparação consta de duas dimensões: 

1.1) Preparação da Personalidade:

A pessoa do terapeuta está trabalhando para ter aquilo que Patterson fala sobre a personalidade psicoterápica, isto é, uma personalidade que pelo simples relacionamento tenha condições de criar de modo espontâneo um processo curativo com os quais ele (terapeuta) se relaciona, tendo como por fundamento: aceitação, respeito e compreensão espontaneamente ;

1.2) Competência:

O aproveitamento adequado das lições que a experiência da vida ensina visualizadas e refletidas sobre o aspecto das teorias científicas que o terapeuta segue.


2) Qual o Objetivo da Psicoterapia?

Criar uma condição favorável e eficaz, catalizadora, para que o cliente se ajude a si mesmo, isto é, para que tome conhecimento de si, utiliza seus recursos e removendo obstáculos para que ele possa ser dono de si mesmo e efetivar todas as suas potencialidades;

- Modificar a personalidade para modificar a hierarquia de valor. Valores mais eficazes para se ser autêntico na sua vida;
- Toda a sessão é um risco, assume diversos aspectos: rejeição, compreensão, projeção do terapeuta ou do cliente, etc;
- Risco próprio de se viver sobretudo no relacionamento do foro (indício) mais íntimo da consciência quando se está em interação com as pessoas.


3) Quem Precisa Fazer Terapia?

Todas as pessoas, mas em níveis diferentes da busca que fazem para encontrarem um recurso a fim de vencer as dificuldades e encontrar os meios adequados para se construir a si mesmo.

É diferente a terapia de uma pessoa que sem maiores problemas, procura terapia para se conhecer a si mesmo. Que é diferente daquela outra pessoa que procura mais para se livrar de um quadro sintomático de maior ou menor gravidade. Ou ainda, daquela outra que está procurando um caminho, ou daquela outra, pessoa idosa que procura terapia na busca mais para ter alguém para ouvi-la e realizar em si um processo cartático, etc.

Cada caso tendo em vista de quem procura terapia deve ser definido de maneira própria e específica e não de forma impessoal. O que caracteriza a busca da terapia para cada indivíduo é a originalidade com que o faz. 

                                                                                                          Franz Victor Rúdio


"Quando digo que gosto de ouvir alguém estou me referindo evidentemente a uma escuta profunda. Quero dizer que ouço as palavras, os pensamentos, a tonalidade dos sentimentos, o significado pessoal, até mesmo o significado que subjaz às intenções conscientes do interlocutor. Em algumas ocasiões ouço, por trás de uma mensagem que superficialmente parece pouco importante, um grito humano profundo, desconhecido e enterrado muito abaixo da superfície da pessoa."

“Constato, tanto em entrevistas terapêuticas como nas experiências intensivas de grupo que me foram muito significativas, que ouvir traz conseqüências. Quando efetivamente ouço uma pessoa e os significados que lhe são importantes naquele momento, ouvindo não suas palavras mas ela mesma, e quando lhe demonstro que ouvi seus significados pessoais e íntimos, muitas coisas acontecem. Há, em primeiro lugar, um olhar agradecido. Ela se sente aliviada.
Quer falar mais sobre seu mundo. Sente-se impelida em direção a um novo sentido de liberdade. Torna-se mais aberta ao processo de mudança." 

                                                                                   Carl Rogers

 

Ψ  Centro de Atendimento em Psicologia   Ψ
Tel/Fax: (12) 3132-6334   ***   Cel.: (12) 8127-5426   ***   Cel.: (12) 9117-2158

R. José Ferreira Viana, 18 * Guaratinguetá/SP

  Site Map